• Marcelo Reis

Ashtanga Vinyasa Yoga


Ashtanga Yoga é um antigo sistema de Yoga que foi ensinado por Vamana Rishi no Yoga Korunta. Este texto foi passado a Sri T. Krishnamacharya no início de 1900 pelo seu guru Rama Mohan Brahmachari, e mais tarde passado para Pattabhi Jois durante o período de seus estudos com Krishnamacharya, no início de 1927.

Os aspectos que Pattabhi Jois enfatiza como os componentes principais do Ashtanga Yoga são:

Vinyasa

Vinyasa significa sistema de respiração e movimento. Para cada movimento, há uma respiração. Por exemplo, no Surya Namaskara “A” contém nove vinyasas.

O primeiro vinyasa é inalar enquanto eleva os braços sobre a cabeça, e colocando as mãos juntas, o segundo é exalar enquando flexiona o corpo para a frente, colocando suas mãos ao lado do seus pés, etc.. Desta forma todos os asanas são atribuídos a um certo número de vinyasas.

O propósito do vinyasa é a limpeza interna. Respiração e movimentos coordenados durante a execução de asanas faz o corpo esquentar, de dentro para fora, nas palavras Pattabhi Jois, ferve o sangue.

O Vinyasa faz o sangue circular livremente em torno de todas as articulações

Quando há uma falta de circulação, a dor ocorre. O sangue aquecido circula nos órgãos internos removendo impurezas e fadigas, que são trazidos para fora do corpo com a forte transpiração que ocorre durante a prática.

Da mesma forma que as impurezas vem a tona quando o ouro é aquecido em um pote, o yoga ferve o sangue e traz todas as toxinas para a superfície, que são removidos através do suor.

Se o método de vinyasa é seguido, o corpo se torna saudável e forte, e puro como o ouro

Logo que o corpo é purificado, torna se possível purificar o sistema nervoso e os órgãos dos sentidos.

Estes primeiros passos são muito difíceis e requerem muitos anos de prática.

Os órgãos dos sentidos estão sempre olhando para fora, e o corpo está sempre cedendo à preguiça. No entanto, com determinação e prática, estes obstáculos podem ser controlados.

Após isso é feito, o controle da mente vem automaticamente. Vinyasa cria a base para que isso ocorra.

Tristhana

Significa que os três lugares da atenção ou ação:

Asanas, pranayama e Dristhi. Esses três são muito importantes para a prática de yoga, e cobrem três níveis de purificação: o corpo, sistema nervoso e a mente. Sempre realizados em conjunto.

Asanas purificam, fortalecem e dão flexibilidade ao corpo.

Respirar é rechaka e puraka, o que significa inalar e exalar. Ambos, inalação e exalação deve ser constante e uniforme, o comprimento da inspiração deve ser o mesmo comprimento do exalar. Respirar dessa maneira purifica o sistema nervoso.

Dristhi é o lugar onde você foca, enquanto executa o asana. Há nove dristhis: o nariz, entre as sobrancelhas, umbigo, polegar, mãos, pés, para cima, lado direito e lado esquerdo.

Dristhi purifica e estabiliza o funcionamento da mente.

Para limpar o corpo internamente dois fatores são necessários, o ar e o fogo. O lugar de fogo em nossos corpos é de quatro centímetros abaixo do umbigo. Este é o lugar permanente de nossa força vital. Para que o fogo queime é necessário o ar, daí a necessidade da respiração. O equilíbrio é necessário para que a chama não o sufoque ou soprado fora de controle.

Respirações longas e balanceadas irão fortalecer o nosso fogo interno, aumentando o calor no corpo, que por sua vez, aquece o sangue para purificação física e também queima impurezas no sistema nervoso. Com o a prática a respiração aumenta o fogo interno e fortalece o sistema nervoso de uma maneira controlada. Quando este fogo é fortalecido, nossa digestão, saúde e expectativa de vida aumentam.

Inalação e exalação irregular, ou respirar muito rapidamente, desequilíbra o ritmo do coração, desperdiçando energia, tanto no corpo físico como no corpo sutil.

Um componente importante do sistema de respiração é mula bandha e uddiyana bandha. Estes selos anais e abdominais inferiores, que foca a energia, dão leveza, força e saúde para o corpo, ajudando a construir um forte fogo interno.

Sem bandhas, a respiração não será correta, e os asanas não trarão benefício.

Quando o mula bandha é perfeito, o controle da mente é automático.

Os seis venenos

Um aspecto vital da purificação interna que Pattabhi Jois ensina está relacionado aos seis venenos que cercam o coração espiritual. No shastra yoga é dito que Deus habita em nosso coração na forma de luz, mas esta luz é coberta por seis venenos: kama (desejo), krodha (raiva), moha (desilusão), lobha (ganância), matsarya( inveja), e mada (preguiça).

Quando a prática de yoga é sustentada com grande diligência e dedicação por um longo período de tempo, faz com que a luz da nossa natureza interior brilhe através do calor gerado pela queima destes seis venenos.

Esta constitui a base prática e filosófica do Ashtanga Yoga como ensinado por Sri K. Pattabhi Jois.

Texto http://kpjayi.org/the-practice


37 visualizações